CD INTEGRIDADE - CLAUDIO NUCCI & FELIPE CERQUIZE

COMPRE O MINAS REAL NA ONERPM (LINK ABAIXO)

29/11/2010

A CIDADE É MODERNA

Hoje, acordei às sete da manhã e saí batendo perna Roma afora. Fui ao Coliseu, que estava aberto para visitação e aproveitei para ver todos os detalhes do interior dessa arena milenar. Ao final, quando saí, havia uns caras vestidos de romano, cobrando dois euros para tirar fotos. Quando cheguei perto deles, para saber o preço, perguntaram, na sacanagem, se eu era gaúcho. Disse que não e, então, começaram a falar em italiano da fama dos nossos conterrâneos (deu pra entender, mesmo eu não conhecendo a língua). A brincadeira com a turma do Rio Grande do Sul está indo longe demais, literalmente. Aliás, uma perguntinha: quem tem boca vai a Roma ou vaia Roma? Deixo a resposta para quem souber.

Do Coliseu, fui para o Pantheon, passando pelo Fórum Romano, ruínas mil e outros trocentos prédios históricos, dos quais não me lembro de nomes, agora. O Pantheon também é uma construção de imponência ímpar. O interior é belíssimo.

Mas o melhor de tudo, mesmo, veio depois do Pantheon. No caminho, descobri Trastevere, bairro boêmio de Roma, que fez parte do meu imaginário, desde a época em que Milton cantou a música homônima no seu disco, Minas, de 1975 (se não me engano, dele com Ronaldo Bastos). Aliás, no início, nem sabia o que significava a palavra e ficava imaginando um local utópico, tipo Pasárgada. Na verdade, Tevere é o rio Tigre ("fiuma Tevere"), que corta toda a cidade de Roma. Trastevere, então, significa "depois do Tevere", que é onde o bairro fica, tomando por referência o lado principal da cidade. O lugar é agradabilíssimo, cheio de pequenas lojas, cantinas e restaurantes. Caminhando sozinho pelas ruas, com minha máquina fotográfica, me veio a ideia de fazer poesias no local e para o local, enquanto caminhava. Pus a máquina no modo "filmar" e, enquanto mostrava as vielas de Trastevere, fui recitando poemas, que criei na hora. Na minha opinião (suspeita), ficou um exercício bastante interessante. Quando eu subir com elas para o You Tube, aviso. No final descobri e comi um prato super saboroso, num pequeno restaurante de lá, à base de camarão e calamar (lula) fritos, muito mais barato do que os pratos similares existentes no Brasil, pelo incrível que pareça.
No restante, foi a volta para o hotel, a maior parte do tempo andando pela via Nazionale, onde existem lojas de tudo que é tipo, inclusive com precinhos camaradas. Comprei algumas lembranças para levar para o Brasil.

Amanhã (30/11), estou em Roma até o meio-dia (nove horas da manhã, no Brasil). Depois, começo o caminho de volta, indo para o aeroporto de trem, de lá pegando um voo para Paris e, finalmente, outro para o Rio de Janeiro, onde chego na manhã do dia primeiro.

Vão, abaixo, mais três fotos, ainda com defasagem em relação à narrativa, pois as de hoje não foram baixadas para o meu computador. A primeira é uma foto de dois guardas do Vaticano, que mais parecem coringas de carta colorida de baralho. A segunda é Fontana di Trevi, onde deixei meus desejos com duas moedas. Finalmente, a terceira é uma foto da escultura de Pietá, que tirei na Basílica de São Pedro.

Provavelmente, só volto a escrever, agora, quando chegar ao Brasil. Se tiver oportunidade, escrevo antes.



28/11/2010

DE REGGIO CALABRIA PARA ROMA

Ontem (27/11), aproveitei para ver um pouco do comércio de Reggio Calabria e descobri coisas com preços fantásticos. Essa cidade é a terra de Valentino e de Versace, onde se pode comprar tecidos de seda e de linho por preços impossíveis de se conseguirem no Brasil. Comprei alguns cortes de seda, a pedido de algumas pessoas da terrinha, e queimei um terço do prêmio comprando alguma coisa de cama e mesa em linho finíssimo (A "muié" vai gostar. rs rs). A Calábria também é terra de mafiosos perigosíssimos, que usurpam a população e, de vez em quando, deflagram brigas entre famílias, que põem a cidade em polvorosa. A última de porte, segundo me contaram, foi em 2007, quando, no total, morreram 34 membros de duas famílias poderosas da cidade, tudo por causa de uma discussão de rua entre dois adolescentes, um de cada clã. A doze quilômetros de Reggio, está a Cecília e o vulcão Etna, sempre fumando, apesar de há muito tempo não haver uma erupção que traga prejuízos para as populações vizinhas (a última foi há mais ou menos três anos, mas a lava não chegou a atingir as cidades). Reggio Calabria sofreu um grande terremoto, em 1908, o que levou a uma reconstrução que descaracterizou mais da metade dos prédios que lá existiam, antes predominantemente em estilo greco-romano. Hoje, muitos dos prédios lá existentes seguem uma linha meio quadradona, típica do período fascista.

Depois das compras, no início da tarde, almoçamos num outro restaurante típico e, em seguida, fui para a estação ferroviária, onde peguei o trem Euro Star, que fez o circuito Reggio Calabria - Roma em cerca de seis horas de viagem. Cheguei a Roma eram mais ou meno 23:30 h. Depois disso, nada a fazer, a não ser desabar na cama e desmaiar.

Hoje, pela manhã, depois do café, já bati pernas para ir ao Vaticano. Impressionante o luxo que é a Basílica de São Pedro e os museus que a circundam. O Vaticano é a prova viva do quanto a Igreja Católica espoliou a humanidade. Tudo em ouro, prata, mármore carrara, marfim e outras riquezas mais. Pelo incrível que pareça, mesmo com tudo isso, ainda tem uma pessoa que passa a sacolinha durante as missas que celebram, de hora em hora, dentro da basílica. Para entrar nos museu do Vaticano é uma fila quilométrica. Consegui chegar ao portão de entrada quando faltavam dez minutos para fechar e valeu a pena. A arte que se vê no museu é de um valor inestimável. A mais impressionante de todas é a capela Sistina, onde é proibido filmar e fotografar, mas, com meu jeitinho brasileiro, em pleno Vaticano, consegui driblar a guarda e fazer algumas filmagens rápidas, além de fotos, claro (enquanto os guardas gritavam "NÃO PODE FILMAR, NÃO PODE FOTOGRAFAR!"). Ainda esta semana, mostro algumas dessas fotos por aqui.

Terminado meu calváreo pelo Vaticano, peguei o metrô e fui até a Fontana di Trevi, que realmente é lindíssima. Joguei minha moedinha nela e deixei meus desejos por lá. Também tirei várias fotos da fonte e das cercanias. Por ali, também aproveitei para almoçar num restaurante que tinha na fachada tão somente o nome Taberna. Lá, encontrei uma garçonete brasileira e aproveitei para colocar o velho e bom português em dia. Quando acabei o almoço já eram 16:30 h e começava a escurecer (aqui em Roma, às 17:00 h, já está escuro). Cansado, mais ainda entusiasmado, saí caminhando até chegar ao Coliseu, que é um prédio (monumento) absolutamente fantástico, com dois mil anos de História nas costas. No caminho, passei por várias ruínas, pelo portal do imperador Adriano, pelo milenar Fórum Romano etc. etc. etc.

Cansado, mas "felice pra carajo". Acho que é assim que posso descrever este meu momento, agora, no quarto do horel "Paris in Rome", que fica na Via Firenze, pertinho da estação ferroviária central de Roma. Amanhã ainda estarei o dia inteiro por aqui e pretendo falar alguma coisa a mais procês. Abaixo, mais duas fotos: uma do BERGAMOTO, fruto símbolo da cidade de Reggio Calabria, que só existe nessa região da Itália, e outra comigo na estação ferroviária, partindo para Roma. Algumas das fotos que tirei em Roma, mostro na próxima mensagem (ainda não baixei para o meu computador).
Bergamoto - Fruto símbolo da cidade de Reggio Calabria

27/11 (17:00 h) - De partida para Roma

26/11/2010

DIAS INESQUECÍVEIS

Felipe Cerquize e Rosalie Gallo durante entrevista na TV Reggio (Itália)
25 e 26 de novembro tornaram-se dias inesquecíveis, para mim. Estou chegando, agora, ao quarto de hotel. Aqui são 2:00 h da manhã do dia 27. Não tive tempo para descrever os acontecimentos, mas o farei, com calma, nos próximos dias.

Fiz duas apresentações da minha canção: uma no programa da TV Reggio, no dia 25, e outra na solenidade de entrega do prêmio, no Palacio Campanella, no dia 26. Saber que estava sendo exibido para toda a Itália e ter por perto gente de diversas nacionalidades ouvindo meu trabalho artístico, realmente, não tem preço.

Uma cópia da entrevista completa com os ganhadores do prêmio Nósside na TV Reggio me foi entregue de presente. Além disso, filmei minha apresentação durante a entrevista e no cerimonial de entrega do prêmio. O que der, subo para o You Tube, quando voltar para o Brasil.

Enquanto isso, mostro duas fotos: a de cima, tirada durante a entrevista na TV Reggio. A de baixo, uma foto com todos os contemplados, que saíram de seus países para se encontrar em Reggio Calabria.

Ganhadores do prêmio Nósside presentes em Reggio Calabria (Itália)


25/11/2010

A COMIDA DA CALÁBRIA É ÓTIMA


Quero registrar a delícia que é a comida por aqui. Hoje, fomos almoçar num restaurante com pratos típicos. O vinho da casa está num nível que supera até alguns da Miolo. Foram três rodadas de pratos, começando com deliciosos salgados e saladas da região, seguindo com massas e finalizando com carne. Um almoço para não se esquecer. Na foto, acima, estamos eu e, da esquerda para a direita, Ana Maria Gozalez (argentina, de Entre Rios, ganhadora do Nósside), Ernesto Santiago (filipino, de Manila, ganhador do Nósside), Fausto (chef do restaurante I Tres Farfalli) e Rosalie Gallo (secretária do Nósside no Brasil).

Daqui a pouco, vamos para a tal entrevista para a TV Reggio

24/11/2010

NÓSSIDE - VIAGEM DE CHEGADA À REGGIO CALABRIA


Cheguei a Europa por Paris (aeroporto Charles de Gaulle), de onde fiz conexão para Roma. Realmente, a hospitalidade francesa não é lá essas coisas. Sem sair do aeroporto, já deu para perceber. Exemplo: parei numa lanchonete, comprei um café da manhã, mas tive que deixar minha mala de mão, por uns instantes, próxima ao caixa, para colocar o dejejum na mesa. Quando voltei para pegar a mala, já havia um atendente perguntando de quem era. Falei que era minha.Ele riu (deboche), dizendo que, se eu demorasse mais um pouco, iria chamar a polícia. Estava até pensando em fazer uma fast visit na Cidade Luz, mas, depois disso, fiquei no aeroporto até embarqcar num voo de Paris a Roma pela Alitalia. Mais ou menos uma hora e trinta minutos tranquilos, sem turbulência. Pretendo conhecer um pouco de Roma, a partir do dia 27/11.

Assim como no caso de Paris, essa passagem por Roma foi só para conexão, dessa vez com o voo AZ 1159, para Reggio Calabria, que saiu às 17:20 h e chegou ao destino em menos de uma hora. O detalhe que mais me chamou a atenção e me emocionou, nesse traslado, foi quando entrei no avião para Reggio e, surpreendentemente, ouvi "Luz negra", de Nelson Cavaquinho, como música ambiente no avião (instrumental, num violão que não descobri quem toca). Se fosse Tom Jobim, Ivan Lins, Milton Nascimento, tudo bem, pois esses são artistas brasileiros consagrados no exterior. O fato de ser uma canção do Nelson Cavaquinho, compositor pouco conhecido fora do Brasil, mostra que a força da música brasileira é muito maior do que imaginamos.

Chegando ao aeroporto de Reggio Calabria, fui recebido pelo professor Pasquale Amato, presidente e idealizador do prêmio Nósside. No meu voo, chegaram mais dois poetas classificados: uma da Patagônia (Argentina) e outro de Manila (Filipinas). Seguimos para o hotel Lido, que hospeda os premiados, e, lá, encontrei, também, com Rosalie Gallo, uma brasileira que assessora o professor Pasquale nas palestras que ele ministra no Brasil. Estamos todos na foto acima, que tiramos numa taverna, onde comemos uma genuína pizza italiana a metro.

Amanhã pela manhã, devemos fazer uma visita à cidade de Messina, na Cecília. Reggio Calabria fica a menos de meia hora da Cecília, aonde se chega de balsa. Também amanhã, por volta das 17:00 h, deve acontecer uma entrevista na TV Reggio com os premiados presentes. Essa TV é afiliada da RAI e a matéria deverá ser divulgada para toda a Itália. À noite deve acontecer um jantar custeado pelo Nósside.

21/11/2010

FLOR DO TEMPO - VERSÃO A SER APRESENTADA NA ITÁLIA

Fiz uma gravação de "Flor do tempo" nos moldes da versão que será apresentada, no próximos dias 25 e 26 de novembro, na Itália. Se tudo der certo, gravaremos uma entrevista para a TV Reggio, afiliada da RAI, por onde espera-se haver a divulgação do prêmio e da entrevista naquele país. Não sei se será ao vivo ou em vídeo tape, mas quem tiver interesse poderá ficar atento, nesses dias, sintonizando a RAI pelo canal 106 da Sky, aqui no Brasil. O link para ouvir a gravação é http://tinyurl.com/2bqgklt .

FLOR DO TEMPO
Letra e música: Felipe Cerquize

Acostumado a brincar
com as bolas de gude
e os piões a rodar.

Muitos já perceberam
que eu sou um adulto
que vive a brincar.

Como vai você?
Como está você?
Você já cresceu?

Hoje brinco de sofre-quem-pode
e nessa não vale chorar.
A pior brincadeira
é o pega-pega na frente do bar.

Passe o anel,
olhe o pai-joão.
Você já pensou?

Terra gira e brinca,
sofre-quem-pode,
as pipas no ar,
os pegas no bar.

De hoje para amanhã,
quando acordar,
pare de brincar,
alguém vai falar.

Fico com anseios,
querendo tudo na varanda dos desejos,
olhando as moças do futuro que não beijam,
olhando os arcanjos nobres que não vejo.

Aquela flor é digna de se pisar,
mas este gosto não é meu.

16/11/2010

VIAJANDO PARA A ITÁLIA PARA RECEBER O PRÊMIO NÓSSIDE


A cerimônia de premiação será em Reggio Calabria, Itália. Devo pegar um voo para Roma, no dia 23 de novembro e de lá pegar outro avião ou um trem, chegando à cidade da celebração na noite do dia 24, onde os convidados se hospedarão no hotel Lido.

No dia 25, os premiados participarão do "Salão do Editor" e serão entrevistados na Reggio TV, coligada da RAI, que exibirá a entrevista em toda a Itália. À noite, teremos um jantar de confraternização.

No dia 26, a programação é a seguinte:

>>Às 10:00 h, visita à cidade;

>>Às 12:00 h, Visita ao Museu do Bergamoto junto à Academia do Bergamoto, com aperitivo;

>>Às 15:30 h, Visita ao Laboratório dos Bronzes de Riace e das demais obras primas do Museu Nacional da Magna Grécia;

>>Às 17:00 h, Cerimônia de Premiação Palazzo "Tommaso Campanella", sede do Conselho Regional da Calábria;

>>Às 21:00 h, Jantar em homenagem aos Poetas do Nósside junto ao Museum Center.

Na minha categoria de premiação, terei direito a receber:

1.Placa Nósside em prata (que reproduz uma obra do grande futurista de Reggio Calábria, Umberto Boccioni);

2.A importância de 600 €uros e o Atestado da Menção Especial;

3.A inserção na Antologia “Nósside 2010” da "poesia em canção" premiada.

Na premiação, os poetas são chamados a lerem seus poemas. No meu caso, provavelmente, serei convidado para tocar minha canção. Na entrevista da TV deve acontecer o mesmo, pois, segundo me informaram, o condutor do programa é aficionado por música brasileira.

Para quem ainda não conhece, a canção premiada chama-se "Flor do tempo" e poder ser ouvida, na voz de Kiko Furtado, acessando-se o link http://tinyurl.com/3x9oucf

15/11/2010

RESPOSTA AO HINO DA PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA

.
"Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós!
Das lutas na tempestade
Dá que ouçamos tua voz" 
.
AINDA QUE TARDIA

Abre as asas sobre nós
Ainda que seja tarde
Desamarra estes meus nós

Permite-me dobrar a esquina
Sem ver mais uma chacina
Deixa-me alimentar o sonho
De que tanto me envergonho

Desce as asas sobre nós
Acolhe-nos e protege-nos
Mesmo que estejamos sós

Incentiva-me a repartir
Dá-me a dor de consciência
Dá-me a tua sapiência
Faz-me enxergar o que é óbvio

Tu que enfrentaste a História
Que partiste na ascenção
Não nos permitas a morte
Sem saborear tua glória

Fecha as asas sobre nós
Não deixes que a fúria fira
Não mandes a desesperança
Rufla o máximo que possas

Sorri para mim ao acordar
Faz chover no semiárido
Controla as aluviões
Dá fartura aos embriões

Elimina o sensacionalismo
Dá chance a todo artista
Defenestra o mercenário
Que quer o nosso salário

Solta a pluma sobre nós
Para que enxerguemos cores
E sintamos teus olores
Avoluma a tua voz

Ajuda-nos a ver o rosto
Dos que pregam o oposto
Dos que usam o teu nome
Mas que distribuem a fome

Que desabe sobre nós
Cada ruga de tua personalidade
Cada marca do teu sofrimento
Para que tenhamos tua consciência

Tudo pode mudar facilmente
A fragilidade é a tônica da vida
Todas as conquista nada significam
Novos rumos podem debilitar os inatingíveis

Fecha as asas e protege-nos
Não nos deixes aqui sozinhos
Reverbera os teus exemplos
Para os vendilhões do templo

Não te acanhes com a ameça
Constante que te fazemos
Põe ao largo tua asa
Distribui as tuas penas

Derrama teu sangue quente
Sobre cada um de nós
Cicatriza tua ferida
No calor das nossas vidas

Ignora todas as chantagens propostas
Desce batendo as asas com a força exata
Nem tão forte que nos tire o norte
Nem tão lento que nos tire o vento

Felipe Cerquize

03/11/2010

PIADA

José Serra, Fernando Henrique Cardoso e Aécio Neves estavam em um avião da Força Aérea, quando o piloto avisou que a aeronave apresentou pane nas duas turbinas e que o avião ia cair. Os três olharam um para o outro e Aécio Neves, com um certo ar de deboche, falou: : "Ainda bem que estou com minha mochila que vira para-queda". Falou isto, saiu correndo e pulou porta afora. Trinta segundos depois, a mochila se abriu e virou um lindo para-queda, que permitiu a Aécio descer suavemente até o solo.No avião em pane,  Fernando Henrique olhou para Serra e, sorrindo, disse: "Ainda bem que as meias para varize, que estou usando, transformam-se em parapente. Disse isto, saiu correndo, saltou pela porta do avião e puxou o elástico da meia da perna direita, que se transformou num lindíssimo e confortável parapente e fez Fernando Henrique pousar suavemente no chão. José Serra, desesperado com sua situação e com o sucesso dos dois correligionários, olhou para as mãos, deu um grito, saiu correndo, saltou pela porta do avião e começou a esfregar incessantemente a cabeça. Mil metros do solo, quinhentos metros, duzentos metros e ele esfregando freneticamente a mão na cabeça. Até que se esborrachou no chão e morreu. Na operação de resgate, o pessoal encontrou o corpo de Serra num ponto e a mão direira a uns 100 metros do corpo, enrijecida e fechada. Fizeram a maior força para abri-la e, quando conseguiram, encontraram um frasco, que serra segurou firme e forte até o fim. No rótulo estava escrito "para queda de cabelo".

02/11/2010

HOJE É DIA DE EL REY

MÁRCIO BORGES e FELIPE CERQUIZE

Hoje, acordei com uma música do disco Milagre dos Peixes na cabeça: Hoje é dia de El Rey. Como a maioria deve saber, grande parte das letras desse disco foi censurada, inclusive a escrita pelo Marcinho para essa canção. Pincei-a do blog Pérolas aos Povos (leia, abaixo). Acho essa melodia um primor e o sax que Nivaldo Ornelas pôs nela é de arrepiar. Essa música é uma das que realmente embalaram meus sonhos juvenis. A poesia do Marcinho não podia deixar de estar no disco, mas, infelizmente, os tempos eram outros, mais sórdidos e truculentos. No poder efêmero da época, não havia espaço para reconhecer o fundamento de uma poesia como essa, de sentido eterno. Lembro-me de ter lido, se não me engano no livro "Os sonhos não envelhecem", que a ideia era ter a voz de Dorival Caymmi nessa canção do disco.
A música pode ser ouvida no mesmo blog, acessando-se o link http://tinyurl.com/35pnbq8  



HOJE É DIA DE EL REY

(Milton Nascimento e Márcio Borges)

Filho – Não pode o noivo mais ser feliz
Não pode viver em paz com seu amor
Não pode o justo sobreviver
Se hoje esqueceu o que é bem-querer
Rufai tambores saudando El Rey
Nosso amo e senhor e dono da lei
Soai clarins pois o dia do ódio
E o dia do não são por El Rey

Pai – Filho meu ódio você tem
Mas El Rey quer viver só de amor
Sem clarins e sem mais tambor
Vá dizer: nosso dia é de amor

Filho – Juntai as muitas mentiras
Jogai os soldados na rua
Nada sabeis desta terra
Hoje é o dia da lua

Pai – Filho meu cadê teu amor
Nosso Rey está sofrendo a sua dor

Filho – Leva daqui tuas armas
Então cantar poderia
Mas nos teus campos de guerra
Hoje morreu a poesia

Ambos – El Rey virá salvar...

Pai – meu filho você tem razão
Mas acho que não é em tudo
Se o mundo fosse o que pensa
Estava no mesmo lugar
Pai você não tinha agora
E hoje pior ia estar

Filho – Matai o amor, pouco importa
Mas outro haverá de surgir
O mundo é pra frente que anda
Mas tudo está como está
Hoje então e agora
Pior não podia ficar

Ambos – Largue seu dono e procure nova alegria
Se hoje é triste e saudade pode matar
Vem, amizade não pode ser com maldade
Se hoje é triste a verdade
Procure nova poesia
Procure nova alegria
Para amanhã... 

01/11/2010

FLUMINENSE EM FEIRA LIVRE

Como vocês já devem saber, o Fluminense está sendo homenageado na novela Feira Livre, em exibição no site do Grupo Spetáculos (www.spetaculos.com.br). Na trama, a canção que toca em homenagem ao clube é uma parceria minha (música) com Leandro Barbieri (letra).

Com o objetivo de fazer mais uma homenagem ao Tricolor das Laranjeiras, a Spetáculos preparou um clipe mostrando algumas cenas com alguns "personagens" antológicos que passaram por esse clube. Para quem quiser ver, o endereço é http://www.youtube.com/watch?v=pSKTUJUXi7Y

 E para finalizar, antes que alguém estranhe, quero deixar claro que continuo sendo botafoguense com muita paixão, ou seja, não virei casaca.   :-)